quinta-feira, 3 de junho de 2010

Filme - Gran Torino

Gran Torino

Título Original: Gran Torino
Lançamento: 2008 (Austrália) (EUA)
Direção: Clint Eastwood
Atores: Clint Eastwood, Christopher Carley, Bee Vang, Ahney Her, Brian Haley
Duração: 116 min
Gênero: Drama
Status: Arquivado
Roteiro: Nick Schenk, baseado em estória de Dave Johannson e Nick Schenk.
Produção: Bill Gerber, Clint Eastwood e Robert Lorenz
Música: Kyle Eastwood e Michael Stevens
Fotografia: Tom Stern
Direção de arte: John Wamke
Figurino: Deborah Hopper
Edição: Joel Cox e Gary Roach
Efeitos especiais: Pacific Title and Art Studio
Site Oficial: http://www.grantorino.com.br
Estúdio:Warner Bros. / Village Roadshow Productions / Gerber Pictures / Media Magik Entertainment / Matten Productions / Double Nickel Entertainment / Malpaso Productions
Distribuidora: Warner Bros.
O filme mostra a história de um trabalhador da indústria automobilística, chamado Walt Kowalski. Ele ocupa seus dias com consertos domésticos, cerveja e visitas mensais ao barbeiro. Sua esposa antes de falecer expressou seu último desejo, de que ele se confessasse. Mas para Walt - um veterano de guerra amargurado que mantém seu rifle M-1 sempre a postos - não há o que confessar. E não há ninguém em quem ele confie o suficiente para fazer confissões, além de Daisy, sua cadela de estimação.
As pessoas que antes chamava de vizinhos mudaram-se ou faleceram, substituídas pelos imigrantes da Ásia, que ele desprezava. Ressentido de praticamente tudo que vê - os beirais pendentes, os gramados por aparar e os rostos estrangeiros à sua volta; as gangues inconseqüentes de adolescentes asiáticos, latinos e afro-americanos que se consideram os donos do bairro; até seus filhos se tornaram estranhos para ele. Walt estava apenas esperando passar o tempo de vida que lhe resta.
Certa noite, alguém tenta roubar seu Ford Gran Torino, ano 1972.
Ainda brilhando como no dia em que o próprio Walt ajudou a tirá-lo da linha de montagem há décadas, o Gran Torino traz o tímido vizinho adolescente Thao (BEE VANG) à vida de Walt quando os membros de gangues pressionam o garoto a tentar roubá-lo.
Mas Walt impede o roubo e a gangue, tornando-se contra sua vontade um herói para a vizinhança, principalmente para a mãe e a irmã mais velha de Thao, Sue (AHNEY HER), que insiste para que Thao trabalhe para Walt como forma de reparação. Embora inicialmente ele não queira saber dessas pessoas, Walt acaba cedendo e coloca o rapaz para trabalhar fazendo consertos na vizinhança, dando início a uma amizade improvável que mudará a vida de ambos.
Convivendo com a simpatia incansável de Thao e sua família, Walt acaba compreendendo algumas verdades sobre os vizinhos. E sobre si mesmo. Essas pessoas - refugiados provincianos de um passado cruel - têm mais em comum com Walt do que sua própria família e revelam a ele aspectos de sua alma que haviam ficado encobertos desde a guerra, tal como o Gran Torino, imobilizado na escuridão de sua garagem.

O que podemos notar é a excelência em relação ao roteiro e toda a organização das cenas. Impecavelmente seqüenciais, onde não se deixa dúvida sobre a habilidade e competência do diretor. A iluminação foi muito bem colocada, no momento e lugares certos, o que ajuda mais ainda na compreensão da história.


Curiosidade. Gran Torino foi o primeiro longa-metragem importante a representar personagens da comunidade hmong — um grupo étnico de 18 clãs distribuídos entre as montanhas do Laos, Vietnã, Tailândia e outras partes da Ásia — que fez uma difícil transição (refúgio) para os Estados Unidos, depois de seu envolvimento na Guerra do Vietnã lutando e perdendo ao lado dos americanos.

“Eles têm religiões próprias, um idioma próprio e se consideram seu próprio povo. Muitos deles passaram por muitas dificuldades depois da Guerra do Vietnã. As coisas não eram muito agradáveis para eles lá e, por isso, a igreja luterana e muitas organizações individuais trabalharam duro para fazê-los chegar aqui. Mas eles suportaram muita tristeza, por isso são pessoas fortes e muito determinadas”, explica Eastwood.

Um comentário:

  1. Depois de assistir ao filme e ler algumas crítias, boas e ruins, o que pude notar é que a lenda Clint Eastwood conseguiu fazer com que um filme que nem é tão bom assim fosse super comentado, esperado, etc. Na minha opinião, e de alguns, a atuação de grande parte do elenco do filme deixa muito...mas muito a desejar. A atuação do Clint Eastwood também não é muito brilhante. Mas mesmo assim vale muito a pena assistir ao filme tanto pela história, que é muito interessante, como pela sua construção, fotografia, as cenas muito bem feitas, etc...

    ResponderExcluir